Cow on a meadow during sunset-close up

Foi demonstrado que infusões diárias com um produto químico comumente associado a sentimentos de felicidade aumentam os níveis de cálcio no sangue das vacas holandesas e no leite das vacas de Jersey que acabaram de dar à luz. Quem descobriu isso foi a Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos.

Enquanto a serotonina melhorou o estado geral de cálcio em ambas as raças, isso ocorreu de maneira oposta. As vacas holandesas tratadas apresentaram níveis mais altos de cálcio no sangue, mas menos cálcio no leite (comparado aos controles). O oposto foi verdadeiro em vacas Jersey tratadas e níveis mais altos de cálcio no leite foram particularmente evidentes no dia 30 da amamentação, sugerindo um papel da serotonina na manutenção dos níveis durante a lactação.

“Ao estudar duas raças, pudemos ver que a regulação dos níveis de cálcio é diferente entre as duas”, diz Laura Hernández. “Também devemos ter em mente que o tratamento com serotonina não teve efeito sobre a produção de leite, a ingestão de alimentos ou os níveis hormonais necessários para a amamentação”, completa.

Os próximos passos são investigar o mecanismo molecular pelo qual a serotonina regula os níveis de cálcio e como isso varia entre as raças. “Gostaríamos também de trabalhar na possibilidade de usar a serotonina como medida preventiva para hipocalcemia em vacas leiteiras”, continua Laura Hernández, “que permitiria aos produtores de leite manter a lucratividade de seus negócios, garantindo ao mesmo tempo que as vacas permanecem saudáveis e produzem leite nutritivo”, conclui a especialista.