Soja sobe, mas venda precisa observar lucro

Segundo apurou a pesquisa diária do Cepea (Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, da USP), os preços da soja no mercado físico brasileiro fecharam a terça-feira (23.03) com preços médios da soja nos portos do Brasil sobre rodas para exportação subindo 1,67% nos portos, para R$ 98,01 (contra R$ 96,40 do dia anterior). Com isto o ganho acumulado nos portos subiu para 9,07% no mês.

De acordo com a T&F Consultoria Agroeconômica, alguns sindicatos de estivadores, com medo da propagação do coronavírus, estão tentando encerrar atividades portuárias. Especialmente o do porto de Santos (de grande importância para o escoamento da soja no Brasil), o de Timbúes na Argentina e portos do Pacífico (PNW), nos Estados Unidos.

“Com isto, o fornecimento de matéria prima para as indústrias chinesas tende a diminuir, Por outro lado, para evitar perdas maiores, é possível que aos compradores chineses aumentem os prêmios oferecidos na Origem, diante da melhora do Crush Margin local, para estimular os exportadores, mas isto é algo que estão descartando no momento. A médio e longo prazo, talvez…”, apontam os analistas.

“Novamente uma oferta enganosa foi apresentada aos vendedores do RS nesta terça-feira: R$ 103,00/saca no porto para pagamento no final de maio/início de junho como se fosse uma vantagem, mas não é. Tomando-se as despesas de carregamento da posição entre abril (mês de colheita) e final de maio, para ser igual aos R$ 102,00 apresentados para abril, o preço deveria ser ao redor de R$ 105,50 para início de junho”, conclui a T&F Consultoria Agroeconômica