Receita cambial com café exportado cresce 24,1% em março comparada ao mesmo mês do ano passado, diz relatório do CeCafé

ReceitaA receita cambial com as exportações de café do Brasil registrou no terceiro mês deste ano um incremento de 24,1% em relação a março de 2014, fechando em US$ 552,295 milhões. Já o volume apresentou alta de 9,5% na mesma base comparativa. Foram embarcadas 3.046.656 sacas (verde, torrado & moído e solúvel), recorde histórico para o mês. As informações são do Balanço das Exportações divulgado hoje pelo CeCafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil).

No que diz respeito ao ano-safra, o Brasil comercializou 27.675.515 sacas de café entre julho de 2014 e março de 2015, quantidade 10,5% superior à contabilizada no mesmo período da safra anterior. A receita apontada foi de US$ 1,692.975 bilhão.

Considerando a qualidade do café, o levantamento mostra que a variedade arábica respondeu por 80,6% das vendas do país no primeiro trimestre de 2015, o robusta por 10,6%, o solúvel, por 8,7% das exportações e o torrado& moído por 0,1%. Juntos eles representaram um incremento de 4,6% no volume exportado no período em relação aos três primeiros meses 2014. Os cafés diferenciados (arábica e conillon) tiveram participação de 24,3% nas exportações em termos de volume e de 30,8% na receita cambial.

O relatório aponta ainda que, no acumulado de janeiro a março de 2015, a Europa foi o principal mercado importador e responsável pela aquisição de 57% do total de café embarcado pelo Brasil. Já a América do Norte respondeu pela compra de 23% do total de sacas exportadas, a Ásia por 16% e a América do Sul por 3%.

As exportações brasileiras para os chamados Países Importadores tiveram um aumento de 5% nesse mesmo período. Já para os Países Produtores houve uma queda de 15% no volume embarcado, considerando a mesma base comparativa.

Segundo o Balanço das Exportações, a lista de países importadores no primeiro trimestre de 2015 segue liderada pelos Estados Unidos, que adquiriram 1.723.318 sacas (19% do total exportado), seguido pela Alemanha, com 1.585.317 (18% do total). A Itália ocupou a terceira colocação, importando 817.471 sacas do produto brasileiro (9%). No quarto está a Bélgica, com 678.736 sacas (8% do total).

Os embarques de café nos três meses de 2015 foram realizados em grande parte pelo porto de Santos, por onde foram escoados 83,7% do produto exportado (7.397.080 sacas), pelos portos do Rio de Janeiro, que embarcaram 8,7% do total (771.159 sacas), e pelo porto de Vitória, de onde saíram 4,9 % do total (435.022 sacas).

autor: Graziele do Val e Bárbara do Va