Processamento de laranja encerra safra com pior rendimento de todos os tempos

Piora de 25,8% sofre período anterior fez com que empresas deixassem de produzir 223 mil toneladas de suco. Impacto é de R$ 1,1 bilhão em perda de valor

A Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos, (CitrusBR), anuncia que a moagem total de laranja da safra 2015/2016 de suas empresas associadas Citrosuco, Cutrale e Louis Dreyfus Company, foi finalizada em 240,4 milhões de caixas de laranja de 40,8 quilos processadas.  O processamento das empresas não associadas à CitrusBR, estima a entidade, encerrou em 21,2 milhões de caixas. Já o rendimento industrial médio no mesmo período ficou em 302,2 caixas para a produção de uma tonelada de suco de laranja concentrado 66º Brix (FCOJ equivalente), ante 240,5 caixas registradas na safra 2014/2015, uma piora de 25,8%. A drástica queda no rendimento, causada por condições climáticas adversas, fez com que as empresas paulistas deixassem de produzir 223 mil toneladas de FCOJ equivalente se comparado ao rendimento industrial da safra anterior. “Em vez de processar suco, as empresas processaram água”, define o diretor-executivo da entidade, Ibiapaba Netto. “E essa é uma alta de custo totalmente absorvida pela indústria”, informa.

Diante desses números, a entidade estima que a queda no rendimento industrial ocasionou uma perda de valor para toda a indústria paulista na ordem de US$ 330,6 milhões ou R$ 1,1 bilhão. O cálculo leva em consideração o preço médio do suco de laranja na bolsa de Nova Iorque no período entre 01 de julho de 2015 e 30 de abril de 2016, de US$ 1,3085 por libra peso (US$1.903,87 por tonelada métrica) ou US$ 1,0227 por libra peso (US$1.487,87 por tonelada métrica) descontado o imposto de importação.

Produção de suco e estoques

Assim, o total de suco produzido é estimado pela entidade em 865.463 toneladas de FCOJ equivalente no cinturão citrícola de São Paulo e Triângulo Mineiro. Com demanda total estimada de suco de 1.060.000 toneladas de FCOJ equivalente na safra 2015/2016, somadas a outras 17.000 toneladas de suco no Rio Grande do Sul e Paraná destinadas às indústrias paulistas, a CitrusBR eleva a previsão de estoques de passagem em 30 de junho de 2016 para 332.856 toneladas, data de corte de safra. Com essa revisão, a estimativa de estoque também sofre uma pequena alteração com acréscimo de aproximadamente 40,4 mil toneladas de FCOJ equivalente. A previsão anterior, de 19 de fevereiro, estimava cerca de 292 mil toneladas.

Estimativa da safra 2016/2017

Em 10 de maio de 2016 o Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) divulgou os resultados do Projeto Estimativa de Safra (PES) com dados referentes ao número total de plantas produtivas de laranja, produtividade média projetada por planta produtiva e estimativa da produção total de laranja para a safra 2016/17 no Cinturão Citrícola do Estado de São Paulo e Triângulo Mineiro.

Segundo dados coletados e apresentados pelo Fundecitrus, estima-se que a safra 2016/2017 será 18,3% menor em relação à safra 2015/2016. Embora o número de árvores produtivas seja 0,8% maior se comparado ao período anterior, o número de frutos por árvore apresenta uma diminuição de 13,7%. Dessa forma, segundo é apresentado pela instituição, espera-se uma queda na produção de caixas por hectare de 14,8%. Assim, estima-se uma produção total de 240.750.000 caixas de 40,8 quilos para a safra 2016/2017.

A próxima divulgação da CitrusBR acontecerá entre julho e agosto de 2016, tão logo seja possível finalizar a compilação confidencial referente aos estoques físicos de suco de laranja em poder de suas empresas associadas em 30/06/2016. Na mesma ocasião, mediante a uma maior previsibilidade climática e consequente evolução da safra corrente, a CitrusBR divulgará dados referentes a estimativa de processamento, rendimento industrial, produção de suco e estoques para 30 de junho de 2017.

 

Agrolink com informações de assessoria