Missão chinesa visita áreas de plantio de melão no Nordeste

Especialistas do órgão de defesa agropecuária da China – a Administração Geral de Supervisão de Qualidade, Inspeção e Quarentena (AQSIQ) – estão no Brasil para conhecer o sistema de cultivo e os controles fitossanitários do plantio de melão. O objetivo da missão, que está sendo conduzida pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), é liberar as exportações do produto ao país asiático.

O grupo está visitando áreas de produção de melão nos municípios de Mossoró (RN) e Icapuí (CE) para conversar com produtores e autoridades fitossanitárias dos dois estados. Participam da missão, de 25 a 28 deste mês, dois especialistas da AQSIQ e fiscais federais agropecuários do Departamento de Sanidade Vegetal do Mapa e das superintendências estaduais.

A visita é uma das etapas necessárias para viabilizar um acordo sanitário bilateral e, por consequência, liberar a exportação do melão brasileiro. As negociações tiveram início em 2013, quando o Brasil enviou de um relatório técnico à autoridade chinesa manifestando interesse em vender o produto.

Em recente viagem à China, a ministra Kátia Abreu levou o assunto ao ministro da AQSIQ, Zhi Shuping, que afirmou estar acompanhando o pedido brasileiro.

A China, principal destino dos produtos agropecuários brasileiro, embarcou no ano passado 24% de tudo que o agronegócio exportou, principalmente em soja e celulose. Em 2016, o país permanecerá na lista de mercados prioritários para o Mapa, que estima potencial de aumento de 18% no comércio bilateral até 2018.