Citricultura responde por 26% dos empregos gerados no estado de São Paulo em 2019

A alta safra de laranja no ciclo 2019/20, estimada pelo Fundecitrus em dezembro em 385,31 milhões de caixas, impulsionou as contratações pelo setor citrícola. De acordo a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos cítricos (CitrusBR) a partir de dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a citricultura foi responsável por 48.196 admissões em 2019, o que corresponde a 7,48% das contratações registradas no Brasil – o crescimento foi de 9,46% em relação a 2018, quando foram contabilizadas 44.031 admissões. Foram 48.196 admissões e 46.067 demissões, um saldo positivo de 2.129 vagas.

No estado de São Paulo, a citricultura foi responsável por 26,12% dos 184,1 mil novos postos de trabalho criados.

Segundo a CitrusBR, as cidades onde a citricultura mais contratou foram Bebedouro (6.545 vagas), Mogi Guaçu (6.034 vagas), Botucatu (5.793 vagas), Colômbia (5.240 vagas) e Santa Cruz do Rio Pardo (4.582 vagas).

A citricultura é uma das cadeias do agronegócio que mais emprega por hectare, principalmente porque toda a colheita, que se estende por cerca de dez meses, é feita de forma manual.