ABIC reforça importância de manter a qualidade dos grãos em 2020

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apresentou o 1º Levantamento da Safra 2020 de Café e os dados mostraram um aumento na produção impulsionado pela bienalidade positiva do cafeeiro.

As informações mostram que o País poderá colher entre 43,2 e 45,98 milhões de sacas beneficiadas de arábica e entre 13,95 e 16,04 milhões de sacas de canéfora. Para Ricardo Silveira, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Café (ABIC), os números obtidos pela Conab são bem realistas, compatíveis com uma grande safra.

A preocupação da ABIC com essas perspectivas é em relação à qualidade dos cafés, o que ainda, segundo Ricardo, é muito cedo para avaliar, mas é um ponto que deve ser mantido como de atenção.

“Prezamos pela qualidade do café, com pureza, certificação e que agregue valor ao consumidor final, que está cada vez mais informado e exigente. Por isso, apesar dos números positivos e favoráveis que o mercado apresenta, deixo no radar a importância de manter a qualidade dos cafés em todas as safras”, comenta o presidente.

Ele reforça ainda que a ABIC sempre trabalha com números oficiais e que a expectativa é de que ocorra uma estabilidade nos preços. “Nesse momento existe uma tendência de queda nos valores após fortes altas em novembro e dezembro, que devem se ajustar com o passar do tempo. O mercado foca em estimativas e nós, da ABIC, alinhamos as expectativas da safra com os dados oficiais”, explica.

Segundo o levantamento, o País poderá colher uma safra total, somando canéfora e arábica, entre 57,2 milhões e 62,02 milhões de sacas beneficiadas de café este ano. Já em relação a área total, será de 1,89 milhão de hectares, crescimento de 4%