A Mecanização do campo

CampoO campo nunca mais foi o mesmo desde que o homem começou a inventar máquinas que o auxiliassem no trabalho com a terra. Isto é um fato de tamanha importância para a humanidade quanto as grandes descobertas, invenções e revoluções que ocorreram em qualquer época do desenvolvimento humano. Podemos comparar à revolução industrial, à invenção do computador ou às grandes navegações que desbravaram o mundo à partir do século XV.

Não é nem um pouco exagerado de nossa parte tais afirmações, pois a mecanização do campo é uma das grandes responsáveis pelo desenvolvimento humano. Sem ela, o próprio crescimento da população do planeta estaria em risco, bem como a qualidade de vida de todos nós.

Sem a mecanização, tratores, máquinas agrícolas e etc., as atuais produções em grande escala seriam virtualmente impossíveis, pois com o trabalho manual, mesmo com grande quantidade de mão de obra, a qualidade e a quantidade da produção agrícola estariam definitivamente comprometidas.

Mas o que faz, exatamente, a mecanização? Ela ajuda o produtor agrícola a preparar o solo para a plantação, fazer a manutenção das lavouras, transforma o processo de plantio e colheita em operações rápidas e eficientes, sem falar em uma dezena de outras aplicações.

Arados, colheitadeiras e tratores, entre outros, são as grandes ferramentas de trabalho da agricultura moderna. Aliás, o trator é o símbolo da mecanização na agricultura. Mais que um símbolo, poderíamos dizer, pois é o principal ponto de referência para os índices de mecanização do campo. O que isso significa? Um país ou região é considerada mais ou menos mecanizada, de acordo com o número de tratores em funcionamento; a qualidade da mecanização é medida pela idade da frota de tratores, ou seja, se grande parte da frota de tratores de uma determinada região ou país é muito antiga, pode-se dizer que os investimentos na agricultura estão em baixa ou são insuficientes.

A fabricação e o comércio de maquinário agrícola é um mercado milionário, controlado no Brasil e em todo o mundo por grandes empresas que atuam em dezenas de países e são as responsáveis pelo desenvolvimento das novas tecnologias que agilizam e melhoram a qualidade da produção agrícola em todo o planeta.

Com o crescimento constante da população mundial, seria impossível a produção de alimentos numa escala crescente, da mesma ordem que o crescimento da população. Há algumas décadas, se difundia a idéia de que por volta do ano 2000 a produção de alimentos não teria acompanhado ao crescimento populacional e que o mundo estaria mergulhado numa grande “fome”. Isso só não ocorreu, principalmente, graças à melhoria do aproveitamento das plantações através da mecanização e da melhoria das técnicas de plantio. É claro que todos sabem que várias regiões do mundo sofrem com a fome, mas isso não se deve a problemas com a produção de alimentos e sim a uma péssima divisão da riqueza mundial que faz com alguns países tenham superproduções agrícolas enquanto outros não tenham como plantar e produzir alimentos suficientes para as suas populações.

Fonte: Rural News